Como o ensino bilíngue amplia o horizonte dos alunosPosted by On

Como o ensino bilíngue amplia o horizonte dos alunos

O IASC busca ser uma instituição completa com a formação humana, ética, social e pedagógica de seus alunos. Uma das estratégias para garantir que isso aconteça é a inserção do ensino bilíngue desde o início da vida escolar. Pelo segundo ano consecutivo o IASC aderiu ao projeto bilíngue no sexto ano.

Assim, o ensino do inglês passa a estar presente nas estratégias pedagógicas do colégio. A quantidade de aulas e práticas do idioma devem ser compatíveis com a necessidade que os alunos têm para os estudos, o mercado de trabalho e a vivência do mundo atual.

Por que aprender inglês?

Além das diretrizes de ensino da língua inglesa determinadas pelo MEC, o IASC também se preocupa com a naturalização do idioma estrangeiro na vida dos alunos. Isso porque aprender inglês dentro da sala de aula e aprender inglês fluente são processos diferentes, mas complementares. Com uma quantidade de aulas adequadas, práticas e incentivo ao uso do idioma, os estudantes se tornam bilíngues com maior facilidade.

Carolina Berdague, professora de inglês no colégio, conta que essa estratégia é muito eficaz. “O processo de aprendizado de uma língua é feito por repetição e contato. Da mesma forma que aprendemos o português, repetindo frases e tendo contato diário com a língua, para aprender o inglês você precisa disso também”, diz.

A metodologia vai além de exercícios e conceitos gramaticais, mas busca inserir essa utilização da língua estrangeira no dia a dia, explica ela: “Facilita muito a aquisição de vocabulário e o desenvolvimento do raciocínio na língua. Quanto mais você tem que falar, mais você vai pensando naquela língua.”

Outro ponto importante é que o inglês tem uma estrutura gramatical, sintática e fonética muito diferente do português, o que pode dificultar o aprendizado para algumas pessoas. “O inglês é uma língua fonética. Então, ele tem sons que não temos no português. É uma vantagem para os alunos já terem esse contato desde cedo, porque eles vão se acostumando com uma nova forma de pensar”, diz Carolina. Alguns exemplos dessas diferenças? Os sujeitos nunca são ocultos em inglês, as perguntas exigem verbos auxiliares e nem tudo é conjugado em gênero, número e grau. Para obter fluência, o processo de traduzir mentalmente deve ser deixado de lado em prol de um pensamento direto no idioma.

Os benefícios vão além da vida escolar. Como a professora comenta, “o inglês é algo necessário no currículo”. Como a grande maioria dos estudos de nível superior e oportunidades de carreira exigem inglês como requisito básico, ela frisa a importância de desenvolver a fluência cedo. “É importante para o aluno, porque desde uma idade bem nova, ele já tem a oportunidade de se familiarizar com o idioma e se destacar no mercado”, diz.

Como é o projeto bilíngue?

O projeto bilíngue começou a ser implantado nas turmas de sexto ano do IASC em 2020. Em seu segundo ano de funcionamento, ele vai acompanhar os alunos até o final de sua jornada escolar e complementar a formação durante todos os anos, aumentando progressivamente a carga horária.

Ele consiste em ofertar a mesma quantidade de aulas de inglês que aulas em português, o que torna a disciplina parte fundamental da vida escolar. E ainda que as aulas sejam de idioma e sua estrutura, a vivência em si é muito enriquecedora para outras matérias.

“O livro do projeto é diferenciado. Então, ele traz conteúdos que conversam com outras matérias”, conta Carolina. “Já traz um vocabulário e alguns conteúdos. E o contato com o inglês é muito maior do que no ensino regular.”

Ela reforça que os alunos têm experiências muito positivas com essa modalidade de ensino, já que ela dialoga paralelamente com temáticas que já são do interesse deles. “É um material da Cambridge. É muito rico em vocabulário, em assuntos, ele é desenvolvido em parceria com o Discovery Channel. Então, tem muito vídeo sobre natureza, sobre animais, sobre cultura de outros países.”

Esses conteúdos estão também alinhados à missão educacional do IASC, que envolve a formação de alunos capazes de entender questões culturais, globais e sociais por meio de ciência e ética.

Difusão de conhecimento para a comunidade

Um dos pilares da proposta pedagógica do IASC é a formação de alunos comprometidos com a solidariedade e a cidadania, aliados de conhecimento para transformar a sociedade em prol do bem-estar. Ao mesmo tempo, tornar o espaço do colégio uma referência educacional e social para construção de uma sociedade mais justa.

Para isso, o projeto bilíngue visa a ampliar as atividades para incluir a comunidade IASC (alunos de outros anos, pais, familiares) e de Eunápolis na difusão de conhecimentos. Apesar de impedida pela pandemia, a proposta é a realização de feiras e eventos temáticos, para os alunos dividirem conteúdos e habilidades com o próximo.

Cidadãos globais para o século XXI

Por estarem inseridos no mundo contemporâneo e globalizado, os alunos hoje exigem uma formação mais ampla e focada em empreendedorismo e solução de problemas. Outra proposta educativa do colégio é o desenvolvimento da autonomia e do senso crítico.

O aluno, então, para ter as ferramentas necessárias para seu aprendizado de um idioma e se tornar bilíngue, deve ter a oportunidade de ampliar sua autonomia. Na forma de aulas intensificadas e práticas múltiplas, o ambiente tem por objetivo desenvolver essas estratégias de busca por conhecimento e resolução de dificuldades.

Dessa forma, o aluno tem o contato direto e produtivo com o inglês e desenvolve a fluência necessária para entender-se e relacionar-se com o mundo ao seu redor.

Leia mais sobre a importância de um ensino completo e crítico!

Formação

ensino bilíngueinglês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *